Pense na palavra liderança e sua mente o levará imediatamente a pensar na liderança de pessoas de sua equipe. Esta é uma visão muito restrita.

Gosto de pensar a liderança como um processo 360 graus, ou seja, algo a ser exercido em todas as direções, começando por nós mesmos.

Para conseguir realizar seja lá o que for, precisamos exercer influência e obter a colaboração de muita gente, não só de nossa equipe. Precisamos do apoio de quem está acima de nós, da colaboração de nossos colegas, de nossos clientes e outros parceiros de negócio. Porém, antes de mais nada, precisamos exercer a liderança sobre nós mesmos.

Se formos realmente honestos, vamos admitir que em muitas das vezes em que não atingimos nossos objetivos, não foi por falta de colaboração de terceiros, mas por falta de autoliderança. Seja porque não tivemos disciplina, porque deixamos nossas crenças limitantes nos paralisarem, porque nossas reações emocionais atrapalharam ou porque não mantivemos o foco.

Dee Hock, ex-CEO da Visa e reconhecido pela US Business Hall of Fame, disse certa vez que “Deveríamos investir metade da nossa energia na autoliderança. A metade restante será dividida entre liderar para baixo, liderar para cima e liderar lateralmente”.

A autoliderança está no cerne da Inteligência Emocional, que, apesar de ter surgido em meados dos anos 90, ainda é mal entendida. Quando se fala nela, muitos ainda pensam que estamos falando apenas de Relacionamento Interpessoal. A Inteligência Emocional é mais do que isso, é um conjunto de habilidades, divididas em 2 tipos: As habilidades INTRApessoais (auto percepção e auto regulação) e as habilidades INTERpessoais (percepção dos outros e habilidades de relacionamento). Quando estudamos mais profundamente o tema, descobrimos que há uma ordem de precedência no desenvolvimento destas habilidades: 1º. Desenvolver a Auto percepção, 2º. Desenvolver a Auto regulação, 3º. Desenvolver a Percepção dos Outros, 4º. Desenvolver a Habilidade Relacional.

Se você já está numa posição de liderança ou pretende alcançá-la, deveria ouvir o que diz Daniel Goleman, estudioso e divulgador a Inteligência Emocional: “Líderes excepcionais se destacam pela autoliderança excepcional”. Segundo ele, o que maximiza o potencial de liderança é: manter-se determinado a despeito da oposição ou desencorajamento; manter a calma em momentos de crise; manter o ego sob controle; manter o foco ao invés de distrair-se.

Uma pessoa com autoliderança, tem elevado grau de auto percepção e auto regulação. Explico cada uma delas a seguir:

Auto percepção: Conhecer a si mesmo (seus valores, suas crenças, suas qualidades, suas dificuldades, o seu processo mental, seus processos emocionais). Mais do que conhecer a si mesmo, a autopercepção significa perceber o surgimento de seus pensamentos e emoções, ou seja, saber exatamente o que está acontecendo consigo a cada momento.

Auto regulação: É a capacidade de, por conhecer-se profundamente, conseguir regular seu comportamento às circunstâncias conforme seja mais adequado ou conveniente e, assim, deixar de ser escravo de seus instintos, de seus medos e de suas reações emocionais automáticas. Além disso, possibilita definir com autonomia seu caminho e conseguir ampliar e canalizar sua energia na direção de seus interesses, de seu bem-estar, conseguindo, assim, mais foco e realização.

E você, o que tem feito para tornar-se líder de si mesmo?